segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Modo de estar na vida...

Fala-se muito hoje em dia sobre espiritualidade, na forma como através deste processo de auto-conhecimento, percebemos e nos libertamos de todos os tormentos da vida... Como através deste regresso, aprendemos a desligar o interruptor que nos mantém ligados ao correr da vida e todos as suas contingências... E nós como realmente já estamos fartos de sofrer (designação para a experiência, que trás uma expressão dramática e intensa à rotina, e da qual retiramos sempre um ensinamento), até percebemos que se calhar vale a pena olhar para esta expressão de nós mesmos, e tentar encontrar algum alívio na mesma. Até porque começa a ser moda, realizar determinados rituais em grupo ou individualmente, que de espiritual só têm o nome... E porquê?? Pela simples razão de apelarem à descontínuidade do Todo, e apenas servirem como desculpa, para "verdadeiramente" estarmos a tentar fazer algo para mudar a rotina amarga a que chamamos vida, pois seria demasiado descabido que, após nos apercebermos que realmente isto não é o que queremos para nós, continuarmos viciados nesse jogo. Mas a verdade é que inconscientemente é exactamente isso que fazemos... Continuamos lá fora, no meio de um complexo e mais refinado jogo de ilusão, que nos mantém afastados do único lugar onde existe a verdadeira Paz. Dessas formas de expressão, só serão positivas aquelas que nos retiram obstáculos até ao vislumbre da entrada, mas nunca podendo obrigarnos a dar qualquer passo em frente, e muito menos inventar entradas ilusórias que apenas nos levam de volta à realidade pré-existente (apesar de uma forma disfarçada), substituindo as crenças que nos servem de base, por outras igualmente ilusórias... Voltamos ao tal movimento circular que caracteriza a nossa experiência neste planeta...
Fica sempre a nosso cargo a abertura daquela única porta que existe no nosso coração... Aí temos definitivamente de abraçar corajosamente o mergulho até ao nosso âmago, para que em total individualidade e silêncio, encontremos a unidade do Amor Incondicional... Nunca podemos parar antes, pois nada terá sido alcançado, a não ser desculpas de mau pagador e algumas histórias de café!!
No momento em que nos tocamos a nós próprios, não existe maneira de continuarmos a ser os mesmos actores desta peça teatral, pois a claridade e compreensão absolutas da Verdade Existencial, não o permite de outra forma, sendo totalmente descabido voltarmo-nos a afastar do único modo de estar na vida que é o AMOR INCONDICIONAL...
Não existe mais nada para além DELE, e apenas ELE pode transformar a nossa vida de maneira absoluta e verdadeira... NÃO EXISTE OUTRA FORMA!!!!!! Tudo se dissolve... É altura de nos deixarmos de desvios e atirar-nos para o abismo da Existência... Pela Iluminação...

Com AMOR

domingo, 20 de setembro de 2009

Ao meu filho...

Quero mais uma vez expressar de forma totalmente amorosa, o facto de ter co-criado na minha vida, o nascimento de um Ser, que por motivos de definição estrutural das relações sociais, designo de filho e que atribuí o nome de José Maria. Faz parte do meu contracto e escolho para mim o papel de progenitor, que aprende diariamente com a relação que brota dessa existência, e que sabe, numa base diária, desempenhar esse papel da forma mais correcta, para que essa experiênciação seja o mais livre possível para ambos. Somos seres distintos, e é nesse preceito existencial que se reúnem as condições requeridas para o desenvolvimento da nossas essências espirituais, assim como uma experiênciação da vida livre de preconceitos e regras pré-definidas, que apenas existem na forma de limitação da aprendizagem própria de cada ser.
Obrigado por seres parte do meu crescimento e elevação.
Amo-te de forma Incondicional, e assim te liberto de mim...

Luz

"Meus queridos, vocês utilizam a palavra “luz” para significar muitas coisas e, no entanto, todas
elas estão relacionadas com a verdade absoluta.
Vejamos o tema desde o interior para o exterior;
Eu procedo do Grande Sol Central, a força do amor criativo que representa a luz. Tudo o que está
contido no Universo é representado pela luz emanada por esta fonte. É a verdadeira semente em
cada um de vós, e que está na origem da vossa sensação de se sentirem “em Casa”. É a fonte da
vossa alegria e o recurso para o alívio perante o medo, durante os momentos de prova. Tem substância
e pode ser medida. É a parte de vós que está permanentemente ligada à grande fonte de
amor central de todo o plano da criação.
A luz irradia para vós através do vosso Sol.
Talvez pensem que isto não tem grande importância espiritual, mas basta que vos recorde que o
vosso Sol é o motor do sistema da Rede Magnética do planeta, e que eu estou aqui para ajustar esse
sistema, em resposta à vossa natureza espiritual. Por conseguinte, até a luz que procede do Sol
está em concordância e devem honrá-la espiritualmente, quando definem “luz” genericamente.
A luz é a fonte de toda a vida e criação no Universo. É física e espiritual simultâneamente, pois
representa o atributo básico do amor. Não é casualidade que seja a luz que vos permite ver, pois os
princípios são ciência e os atributos são Espírito.
A luz permite-vos a iluminação e o conhecimento de serem um ser espiritual que se desloca pelo
planeta revestido de biologia, firmemente ligado à luz da Grande Fonte Central. Metaforicamente,
é a libertação da obscuridade - que é o medo, em si mesma.
Um Humano iluminado é, portanto, um Trabalhador da Luz, e representa a consciência da intensificação
da vibração planetária... que deve ser o objectivo de todos os Humanos iluminados.
A luz está presente na vossa biologia, até no nível mais ínfimo, e é o motor do vosso próprio rejuvenescimento.
Se viajassem pelas zonas mais pequenas e obscuras do vosso funcionamento celular
interior, veriam a luz que emana de algumas das partes que ainda não foram descobertas! A luz,
portanto, não só é responsável pela criação da vossa vida, mas também pela sua sustentação.
Finalmente, a luz assume-se como o círculo completo, pois representa a chispa existente dentro
de vós, que fazem parte do Todo. A totalidade da criação é feita de luz, desde o maior ao mais
pequeno. A parte que cada um traz consigo, como uma entidade de amor da Grande Fonte Criativa,
é uma luz tão poderosa que poderia brilhar mais do que toda uma galáxia de sóis. Todavia, é algo
tão delicado que uma célula individual pode servir-se dela para se rejuvenescer.
Você é uma peça da cadeia de luz que é o próprio Universo, uma peça que representa o funcionamento
de uma fonte de amor tão grande que o surpreenderia e o deixaria espantado com o seu
alcance. Assim sendo, você, realmente, faz parte de Deus!"

Kryon, canalizado por Lee Carroll, em o Livro 3 "Alquimia do Espírito Humano (Um guia para a transição humana para a Nova Era)"

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Libertação

Sempre me senti preso por uma indumentaria material que transportamos nesta nossa experiência por terras de Gaia. Prendia-me os movimentos, vergava-me as costas, mantinha-me bem rente ao solo, e com isso a vontade de cortar amarras sempre foi uma constante, num objectivo de criar asas e voar. Mas à medida que a consciência se começou a elevar, a vibrar mais rapidamente, entendi que essa contingência não é um atributo existencial da matéria. É apenas quando nós próprios nos propomos a que assim seja, em nome de uma experiência vivencial, própria deste planeta de terceira dimensão. Nós o impomos a nós próprios e apenas nós nos podemos desapegar dessa condição. Não cortando partes dessa vestimenta em troco de uma leveza ilusória, mas sim transmutar essas parcelas, elevando a sua vibração e usando depois esse crescimento para nos catapultar-mos até ao Amor incondicional, pois quanto mais fundo mergulhar-mos na densidade, mais longe atingiremos o outro oposto. Devemos observar a densidade, e através dos pensamentos e imaginação, apelar-mos ao alquimista que somos, transformando o ferro em ouro... A consciência é fundamental nesse processo, pois a partir dela apenas vemos a Luz... pois essa é a tendência natural da Existência.
Que assim seja para todos nós...

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Lindo, lindo, lindo, lindo...
Simplesmente não tenho palavras para descrever a gratidão que sinto a mim próprio por, como parte do todo, me ter permitido a estar na cerimónia deste fim-de-semana passado...
As amarras dissolvem-se e simplesmente temos acesso à pureza da nossa essência, à mais alta vibração, e com ela dançamos eternamente. Podemos ter asas e voar, ou então curar-nos das nossas feridas mais profundas, mergulharmos no fundo e iluminar a densidade que se acumulou.
O Amor é tudo isso, e nós somos parte dele.
Com ele somos unos.
Todas aquelas armaduras que transportamos no nosso dia a dia, agora são feitas de Luz, e com elas a consciência flui... Já não somos matéria, essa apenas se eleva, para permitir a entrada do espírito, e com ele sermos a simples Verdade.

Obrigado a todo(a)s que estiveram presentes, e fizeram desta experiência, um tocar da Eternidade.